Páginas

Mostrando postagens com marcador Curitiba. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Curitiba. Mostrar todas as postagens

19.7.13

SEGUNDA-FEIRA NA MARECHAL DEODORO

FOTO MB: Eis que de repente, não mais que de repente, me deparei com Ray Charles no cento de Curitiba, na Avenida Marechal Deodoro esquina com Conselheiro Laurindo. Surpresa boa!

17.7.13

SEGUNDA-FEIRA NA AVENIDA IGUAÇU


FOTO MB: AS CEREJEIRAS ESTÃO FLORIDAS EM CURITIBA. ACHEI CURIOSO O CONTRASTE ENTRE O PINHEIRO E A FLORAÇÃO DELICADA E ROSA NA CALÇADA DO BAIRRO ÁGUA VERDE.

22.6.13

JANELA INDISCRETA

FOTO MB: A SUPER SUPER LUA DE INVERNO. PARECE QUE TUDO ESTÁ NA MAIS PERFEITA PAZ.

27.5.13

SEGUNDA-FEIRA NO LARGO DA ORDEM

FOTO MB: Igreja do Rosário / tal como Fernando Pessoa, Drummond e Noel Rosa / sinalização Braille

1.1.13

JANELA INDISCRETA

FOTO MB: O PRIMEIRO ARCO DE 2013.

11.12.12

BOM DIA, BOA TARDE, BOA NOITE AMOR!


(Jorge Ben Jor)

Bom dia, amor. Eu gosto tanto de você
Boa tarde, amor. Eu gosto tanto de você
Boa noite, amor. Eu gosto tanto de você
Dorme, dorme, meu amor
Dorme, dorme, meu amor
Mas por favor, diga que vai sonhar comigo, que eu também vou sonhar com você.
Pois tudo que eu falo, que eu canto, que eu penso, que eu amo, que eu olho, que eu quero
Só vejo você...


Fotos MB: dia 11 de dezembro de 2012

29.1.10

JANELA INDISCRETA V: UM ARCO NA IRIS

O lado esquerdo

20:10hs - o céu de Curitiba está cortado por um arco de 180º, incapaz de caber na minha lente.
(Fotos: Margareth Bastos)

O lado direito

10.1.10

RECANTOS DE CHARME PARA DIAS MAIS OU MENOS

Café do Paço (da Liberdade) e Café do MON

Se o dia está meio barro meio tijolo... vá ao Museu. A exposição de Vick Muniz está no MON até fevereiro (quase tal e qual como exposta no MASP) e os azulejos portugueses também. Encerre a visitação no Café. Com paredes de vidro, o espaço ao lado da bilheteria permite observar o bosque no final de tarde. É, no mínimo, agradável.

FOTO MB: Minha ida ao centro da cidade inclui uma passadinha no oásis de quietude e requinte que é o Café do Paço (da Liberdade).


FOTO MB: Passe antes na biblioteca, que fica no mesmo andar, escolha um livro e rume para o Café. Aproveite para dar uma olhadinha na programação do cinema ou ir ao último andar visitar a exposição da vez. Atualmente, a arte de Arnaldo Antunes preenche as paredes de palavras e idéias que produzem, no mínimo, momentos de diversão. Vale conferir.

Ha, ha, ha, QUE VIDA À TOA!


FOTOS MB: Gente, embarquei na jardineira e me diverti um monte. Por R$ 20,00 é possível passear pela cidade de Curitiba inteirinha, margeando os pontos turísticos, com vento na cara e acenando para o público (aliás, é o público que acena pra gente). Quando a sede aperta, olha aí o jeitinho dos vendedores ambulantes (?) para vender água no Jardim Botânico e na Ópera de Arame.

29.8.09

BIENAL DO LIVRO DE CURITIBA: fui, vi e vou voltar

Curitiba está vivendo a sua Primeira Bienal do Livro. Ainda pequena, em um espaço impecável, oferece muitos eventos paralelos que, na minha opinão, é o forte do evento. É programa de dia inteiro (no meu caso, mais de um): http://www.bienaldolivrocuritiba.com.br/Foto: Margareth Bastos - lombadas das capas de livros que criei para a Editora Apicuri (RJ), mas não estão na Bienal

JANELA INDISCRETA IV

BICICLETADA DE CURITIBA





AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA

7.8.09

ROTEIRO LUA-DE-MEL

FOTO MB: NO CENTRO, SÁBADO PELA MANHÃ

Há quem diga que se o namoro está no começo, uma pequena viagem para uma cidade turística ou não, próxima ou não, capaz de mesclar romantismo e diversão é uma ótima (e por vezes econômica) opção. Pois bem, resolvi observar o potencial de Curitiba para tal.
Região fria – sim, principalmente no inverno é possível degustar ótimos vinhos e fondues. No Chatêau de Gazon há o blend rodízio, que reúne fondue de queijo com ervas, carnes, fondue na pedra e fondue de chocolate, além do fondue de sorvete para a sobremesa.
Agito noturno – sim, e para todos os gostos: O Café de la Musique é um dining club com serviço Premium; a Liqüe é restaurante, bar, lounge e boate; a Woods é sertaneja até a alma e o Calamengau apresenta o melhor forró pé de serra da região.
Parques – sim, Curitiba possui 26 parques. São 55m² de área verde por habitante, três vezes o índice recomendado pela Organização Mundial de Saúde.
Cafés – sim, Curitiba tem Delice de France, Prestinaria, Marcollini, Provence...
Shoppings – sim! sim! sim! O que mais tem na cidade é shopping. Destaco pelo menos 3 com ótimas joalherias, para aquele presentinho surpresa. Antonio Bernardo já está por aqui!
Museus – ahhhh, o Oscar Niemeyer por si só é lindo de morrer!
Além disso, Curitiba tem feira de artesanato (Largo da Ordem, aos domingos) e de antiguidade (Praça da Espanha, aos sábados), passeio de litorina pela Mata Atlântica (diariamente) e visitinha diurna das cidades históricas (nos finais de semana fica um pouco mais movimentado, e isso é bom!). Enfim, é possível criar momentos agradáveis e tranquilos. Romantismo? Isso se leva para qualquer lugar casamento afora!
post relacionado
Voltei aqui para postar um link muito especial sobre casamentos e eventos:

5.7.09

PAÇO DA LIBERDADE: o mais novo ponto turístico da cidade de Curitiba


Foto: Margareth Bastos
Desde abril Curitiba tem mais um ponto de visitação e, digo eu, de admiração: o Paço da Liberdade. Após restauração, o prédio que abrigou a Prefeitura da Cidade e o Museu Paranaense renasceu soberano na região central. O livro que reúne fragmentos da história do Paço está disponível na livraria que, junto da biblioteca, do café cultural e musical, da sala de cinema e da sala de exposições, esbanja a beleza do local.

11.6.09

MORRETES E O BARREADO

Os arredores de Curitiba também é puro charme. Cidades como Antonina, Morretes, São Luís do Purunã, Lapa e Castro rendem bons passeios do tipo bate e volta. Vou começar por Morretes.

Fotos: acervo MB - Morretes (PR)
Distante pouco mais de 70Km da capital, a cidade provoca uma volta ao passado, com suas ruas calmas e coloridas. Não vou falar do Rio Nhundiaquara e o seu o bóia-cross, do Pico do Marumbi, tampouco do passeio de trem pela Mata Atlântica, pois esse não é o meu jeito de ver a cidade. Morretes, para mim é cidade histórica, com vestígios de passado, para ser vista sem muita pretenção.


Foi assim que, como uma ilha em um oceano de geadas, o sábado de sol foi o incentivo para seguir até Morretes (PR) e saborear o barreado. Confesso que a combinação de carne desfiada, farinha de mandioca e banana sempre me assustou um pouco, afinal, não é todo estômago que aceita bem o prato típico do litoral paranaense. Mas isso mudou pelas mãos do Lúcio, garçon do Empório do Largo, que mostrou sua técnica em servir o prato:

Coloque a farinha no fundo do prato, cubra com carne/caldo, misture freneticamente até que... ...


... se não cair do prato, está na hora de comer!
De origem atribuída aos portugueses que aqui chegaram no século XVIII, o barreado tem o seu curso relacionado ao do fandango, com seus tamancos e rabecas. Era o prato preparado para acompanhar os dias de festas. Para um bom e tradicional barreado, a carne de boi deve ser cozida lentamente por 20 horas em panela de barro lacrada por uma massa de farinha e água (cá pra nós, modernamente, já é feito na panela de pressão). Concluído esse processo, é servir a carne (que depois de tantas horas está naturalmente desfiada dentro da panela) com o seu molho espesso, farinha de mandioca branca e algumas rodelinhas de banana. DICA: Se não for possível experimentar o prato completo, pelo menos aproveite o bolinho de barreado. É o melhor bolinho de carne que comi na vida!

1.6.09

CURITIBA NA COPA 2014: pergunta que eu respondo!


Foto: Margareth Bastos - O dia que começou assim...

Resolvi prestar um serviço voluntário de utilidade pública para quem não conhece e pretende conhecer a cidade durante a Copa de 2014. Para isso criei o PERGUNTA (ao LIDO E FEITO) QUE EU (Margareth) RESPONDO: uma espécie de tira dúvidas sobre o cotidiano da cidade, que está fora dos sites de turismo. Para dar início aos trabalhos, resolvi registrar os dias de junho na cidade. Sim, porque quem vem pra cá pode tirar o cavalinho da chuva, ou melhor, o short da mala, que não dá praia não. Hoje por exemplo, já na primeira segunda-feira do mês, tá um frio de dar dó. Por volta das 7:00 hs, os termômetros marcavam 4ºC, enquanto a sensação térmica era de, digamos, muito, mas muito frio mesmo (não tenho a mínima idéia de como faço para medir sensação térmica). Por outro lado, quem ficar só no calor do Nordeste não vai poder apreciar a gastronomia local do período, que inclui barreado, quirerinha, quentão e pinhão. Muito pinhão. Então, gostou da idéia? Pergunta que eu respondo.

Foto: Margareth Bastos - ... se despediu assim...

15.11.08

De alma Lavada

Foto: Margareth Bastos

De forma despretenciosa me movi pela cidade para aproveitar o lindo, lindo mesmo, dia de sol. Comecei pelo Jardim Botânico, numa caminha curta, saboreando o vento fresco. De lá, resolvi comer alguma coisa e optei por um lanche na Marcolini, acompanhado de chá frio de limão. Circulei calmamente pela Feira de Antiguidades da Praça da Espanha, antes de seguir pela Fernando Simas, me deliciando com os ares de soho que restaurantes, cafés e pessoas que por lá circulam empreendem àquelas bandas. Para arrematar, um sorvetinho na La Basque e voltei pra casa de alma lavada. Um sábado que não terminou e já é vitorioso!

Foto: Tomás Bastos

2.3.08

Janela Indiscreta III


FOTO MB: O balãozinho* vai... a tardinha** cai... e fica assim, ó:
FOTO MB: *O balão é para divulgar o Festival de Teatro de Curitiba (só consegui ver depois que ampliei a imagem... branco não seria melhor?).
** Tá bom, a foto não foi tirada do mesmo ângulo e nem pelo mesmo "fotógrafo".