Páginas

Mostrando postagens com marcador lembrancinhas de viagens. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador lembrancinhas de viagens. Mostrar todas as postagens

2.1.13

SHADES OF GREY: ILUSÃO OU REALIDADE?

Há muito admito minha predileção por lugares que seguem majestosos apesar do tempo. Um encantamento que, muitas vezes, me faz sentir como se estivesse voltando do futuro para registrar tais momentos.
NÃO SAIO ÀS RUAS COM O OBJETIVO DE FOTOGRAFAR COISAS DO TIPO. SIMPLESMENTE É O CONTEXTO QUE ME REMETE. FOI ASSIM, POR EXEMPLO, NO CHILE;
EM COLONIA DEL SACRAMENTO, QUANDO ENTREI NO RESTAURANTE MÉSON DE LA PLAZA OU ME DEPAREI COM ESSE MODELO DE CARRO QUE JÁ ERA ANTIGO QUANDO NASCI.
EM SÃO PAULO, QUEM PODERÁ DIZER, SEM OBSERVAR COM BASTANTE ATENÇÃO, QUE A ESTAÇÃO DA LUZ  FOI FOTOGRAFADA EM 2012?
O QUE DIZER DE PARIS? OK, PARIS É COVARDIA. MAS BASTA ESQUECER QUE A TORRE EIFFEL NEM SEMPRE TEVE ILUMINAÇÃO QUE ESTAREMOS EM 1889, NA SUA INAUGURAÇÃO.
 E ASSIM VAMOS NÓS VIAJANDO NO TEMPO. SEJA EM SÃO FRANCISCO DO SUL (SC)
OU EM ANTONINA (PR). O MAIS LEGAL DISSO TUDO É EXERCITAR O OLHAR E IR  ALÉM DAQUILO QUE SE APRESENTA. NA MINHA OPINIÃO, ESSE É O ITEM ESSENCIAL, AQUELE QUE NÃO PODE FALTAR NA MALA DE QUALQUER VIAJANTE.
FOTOS MB

20.9.12

ENCOMENDAS DO FREE SHOP

ESTIVE AQUI E LEMBREI DE VOCÊ!
Abri o Lido&Feito para escrever sobre perfumes, mas ao ver o post anterior resolvi ampliar a reflexão sobre comprar ou não “lembrancinhas de viagem” e temas afins, tais como encomendas de free shop (aí está a conexão com perfumes) e “recuerdos” que já ganhei. Como disse Ricardo Freire, fazer encomendas é hábito para muita gente, desde o tempo em que despedir ou buscar alguém no aeroporto era um evento. É coisa “Do tempo em que o exterior era conhecido como o estrangeiro... produto importado era... raro...”.
Confesso que acompanhar o check-in dos outros, não gosto. Mas, buscar, quase sempre pratico a gentileza. Agora, passar grande parte da viagem preocupada com compras, não é justo! É aí que entra a reflexão sobre lembrancinhas. Por menor que seja a lista e por mais que lembremos das pessoas queridas quando estamos longe, comprar a tal da “lembrancinha” é o ó. Vá lá, tem o desejo de querer retribuir e também a vontade de não frustrar o outro (sim, porque o cara criou expectativas no momento em que soube da sua viagem), mas ter que lidar com a dúvida sobre o que comprar é indício de que não gostamos desse item na mala.

FOTO: arquivo MB - tapeçaria chilena aguardando para entrar em uso.

Sobre “recuerdos” que já recebi, tenho muito carinho por todos! Alguns estão em uso, outros devidamente guardados para causar surpresa agradável quando arrumo o armário. Além disso não comento, para não correr riscos e por Ricardo Freire ter sido definitivo no post/enquete do VnV. Dá uma olhadinha.

Foto MB: aplicação utilizada nas capas de lutadores de Luta Livre, no México - obviamente, até que eu encontre uma finalidade menos específica, está na gaveta!

Para quem não abre mão de free shop, talvez seja uma boa oportunidade de conhecer a lista do Fifi Awards 2012, que premia os melhores lançamentos do ano. São eles: Elie Saab Le Parfum, Amor Amor Forbidden Kiss – Cacharel, Kokorico – Jean Paul Gaultier e Hugo Just Different – Hugo Boss. Será que estão disponíveis por lá?  Aliás, descobri que no Brasil existe o Prêmio Atualidade Cosmética com a mesma finalidade – a próxima edição é em novembro e tem até concurso cultural. Pra quem gosta....

4.9.12

LEMBRANCINHAS DE VIAGEM OU A TERAPIA DO LÁPIS

Sabe quando tudo que se vê acaba na mala? Compra-se porque é pequeno, tem um certo charme, não custa caro e, acima de tudo, a loja foi feita para enebriar. Mas, será que vou usar? Lembre-se que há de se ter coragem para juntar e se desfazer de tanta quinquilharia acumulada (porque em casa, sem a emoção do primeiro contato visual, você descobre que é quinquilharia, sim). Depois de muito acumular, resolvi criar duas regras básicas: ímã de geladeira, só se tiver potencial para virar quadro;

FOTO MB: CHARMOSO ÍMÃ DE PARATY (RJ), QUE VIROU QUADRO

Quando estou prestes a violar a regra - ao ver beleza até onde não há - corro para um Museu. Se o instinto persistir, compro um lápis!

FOTO ACERVO MB

Lápis é uma ótima solução. Se uso até o final, serve de justificativa para retornar (Pinacoteca e MASP, me aguardem!). Outra possibilidade é comprar aquilo que usarei no dia-a-dia, mesmo que seja um bloquinho de recados, um avental, um pegador de saladas, bordados em aplique...

FOTO MB: MAIS ÍMÃS EMOLDURADOS