Páginas

21.4.12

PELO MÉXICO, COM OS OLHOS DE OLIVER SACKS OU PARA HONRA DO NOME DO BLOG

Lendo o Diário de Oaxaca (Oliver Sacks), resolvi montar esse post colcha de retalhos com as várias fotos que fiz no México. Poderia ter feito o mesmo com a leitura de Paris - Quartier Saint-Germain-des-Près, de Eros Grau ou com O Cemitério de Praga, de Umberto Eco (usei esses exemplos para citar minhas leituras recentes e admitir pra mim mesma que Praga está na mira!), mas não fiz. Considerando ter sido esta a motivação inicial do Lido & Feito, nada mais pertinente fazê-lo agora: antes tarde do que nunca!


"grande igreja colonial de Santo Domingo [...] enorme, deslumbrante, um templo que assoberba com sua magnificência barroca e no qual não se vê um único centímetro que não seja dourado."
FOTO MB: DETALHE DO BARROCO MEXICANO NA CAPELA DO ROSÁRIO (1690) - IGREJA DE SANTO DOMINGO/PUEBLA - "FIGURAS PEQUENAS E DE TEZ MORENA, E NÃO AS IDEALIZADAS E GRAÚDAS ESTÁTUAS GREGAS" (OLIVER SACKS, P.29)


"no mínimo 20 tipos de chile usados no dia a dia: chile de agua, chile poblano e chile serrano [...] chile amarillo, chile ancho, chile de arbol, chile chipotle, chile consteno, chile guajillo, chile morita, chile mulato [...] Todas, presumivelmente diferem em gosto, textura, ardência, complexidade [...] Em Nova York, tenho apenas um vidro com rótulo "chile em pó", que representa bem o grau de sofisticação que eu tinha até agora." Eu também, Oliver, só sabia que pimenta mexicana ardia, agora sou fã de chipotle e mulato!

FOTO MB: MERCADO MUNICIPAL DE COYOACÁN

"Hoje presto mais atenção à vegetação [...] cactos tubos de órgão [...] serrilhados e aprumados; e nopal, que parece uma pera espinhosa. Esses cactos são parte indissociável da cultura - os brotos de nopal são fatiados e cozidos (têm feito o papel de verdura em quase todas as minhas refeições) e seus frutos  [...] dão uma geléia [...]". Gostei do nopal e pensava que eu poderia prepará-los com ovos, tal qual o nosso jeitinho caseiro de cozinhar vagem.
FOTO MB: OS MAIS DE 300 CACTOS NO JARDIM DO PALÁCIO NACIONAL. EU, A FLOR!